quinta-feira, 11 de março de 2010

EStrela da Manhã...

as nuvens escuras do céu
longe bem longe brilha a enigmática estrela
não podem os andarilhos ver o seu rosto
apenas a sensação de que são guiados
por algo bom e pacífico

eu também, andarilho das areias,
tenho uma estrela que não posso ver
ela guia o meu coração
para um diferente amanhecer
onde as palmeiras guardam
água a rebrilhar nos cântaros

os seus lábios serão de tâmaras?
de açucena, os cabelos?
os olhos, a calma das searas?
estrela vespertina, onde está?
preciso de um repouso na jornada
uma tenda a me proteger do fogo do céu

venha traga-me a paz
eu prometo:
nem o deserto em brasas será maior
do que a gratidão destes olhos tristes
eu a amarei
com a força das tempestades noturnas
eu a amarei
com a delicadeza da brisa nos lírios
eu a amarei
como a verdade do trigo
que surge nas bordas da pedra
eu a amarei
como a beleza de um campo
desvendado na aurora que nasce

venha, que eu a amarei
com a sabedoria dos que perderam
e tornaram a encontrar!

....
Lindo... de um poeta dos meus... Ailton... 


Amém! 

Um comentário:

Costureira de estrelas. disse...

Olá :)
Obrigada por lembrar do meu blog :)
Visitei o blog que me indicou ^^
Beijokas =*