domingo, 28 de março de 2010

Descompasso... desperdício....

Talvez tenha sido a despedida.... 
... meu pai me chamou e voltou pra sala... e me deu abraço! 
Um abraço todo terno cheio de saudade, cheio de amor.
Com os olhos cheios de lágrimas... ele me deu dois beijos... e com as mãos no meu cabelo... 
Disse o vazio que a minha falta causava nele.

Engoli o choro. E beijei ele... Saudade dele... voltei e dei mais um beijo. 
Eu jamais conseguiria descrever.. o Tamanho do Meu PAI. 
COmo ele é Imenso... como ele é meu herói... 

Sou famosa pela minha teimosia... mas sempre o ouvi com atenção... e agt se entende bem... 
Eu jamais consegui brigar com ele e não me arrepender no minuto seguinte. 
Ele tem o meu coração. 

QUando aquele acidente horrível aconteceu comigo e eu adoeci, me afastei da vida...e afastei a vida de mim... 
Jamais vou esquecer... foi numa tarde de domingo feito esta, feito hoje, ele sentou na minha frente, os ombros caídos, e aos prantos... desesperado... pedia para que eu comesse.
Que não conseguia mais ver minha vida escapando da mãos dele assim... 
... e eu já estava tão doente.. talvez já não existisse cura... MAs foi só depois daquele instante.
De ver meu pai daquele jeito... ajoelhado na minha frente... segurando minhas mãos... Eu resolvi que queria viver.
E não me entregar e lutar.. ao menos resistir...E se não havia mais esperança pra mim...
Um milagre aconteceu.... e eu vivi.

E muita muita coisa ainda estava por vir.
QUe eu também sobrevivi e traspassei.

A noite passadas fomos todos à este baile. 
E acho que isto eu nunca mais vou esquecer.... a música linda... e meu pai dançando com a ANa. 
E já nem consigo dizer que música era... só que achei lindo, e não eu não tive ciúmes.
rs 

Então a despedida hoje foi dolorida.
E todo o resto depois.

Meu coração anda cansado..... errando o ritmo.....
Esquecendo o compasso
E o ar anda custando a encontrar seu destino...
A fome desaparecido... 
... e lá no fundo, bem fundo de mim, eu tenho encontrado tudo que poderia ter sido e não foi... 
E acho que vou me pôr a esperar... 
... que o sol se ponha... que o coração esqueça 
de uma vez por todas...
em que ritmo bater.

3 comentários:

Alê Ferraz disse...

Ah, minha borboleta de flor no cabelo. Querida.

Talvez, a vantagem mais prática da tristeza seja essa aqui: ver soluços se transformarem em poesia.

Sua fã.

Costureira de estrelas. disse...

Oi sua dona linda!
Amei o post de hoje!
Tão cheio de sentimentos... Amor do começo ao fim
Dias azuis pra ti =*

Raquel disse...

Oi minha flor, best !!
Adorei esse post, ainda mais por saber de tudo.
Sinto um pingo de tristeza, daquela melancolia de sempre, do mês de abril chegando.
Aaahhhh o mês de abril, né??!!
Se precisar estou aqui.
Bjos.